Regras de etiqueta e segurança nos trilhos de montanha

 



A natureza e a montanha em particular fazem parte da minha vida desde sempre. Um facto provavelmente pouco conhecido sobre mim é que passei grande parte da minha infância a viver na montanha, em França. O esqui, a escalada, o alpinismo e as caminhadas em média e alta montanha entraram na minha vida muito cedo. Na verdade, tão cedo, que por vezes é fácil esquecer-me que nem toda a gente tem a minha experiência e, naturalmente, há coisas que desconhece se entrou neste mundo há pouco tempo.


Isto vem a propósito de duas situações, provocadas por caminhantes pouco experientes e que podiam ter corrido muito mal, que aconteceram connosco este ano durante caminhadas que fizemos aqui nos Alpes. Num caso alguém caminhava com um cão sem trela que se atirou, da parte superior de um trilho e do nada sobre nós e atirou o Magno ao chão (felizmente estava atenta e consegui segurá-lo antes de cair montanha abaixo) e noutro, um caminhante ultrapassou-nos pela direita, sem sequer um pré-aviso, e mais uma vez desequilibrou o miúdo que se assustou.


Ninguém nasce ensinado e para que todos possamos usufruir da montanha em segurança é importante cumprir as regras de segurança e etiqueta em caminhadas:


    1)   Tal como na estrada, também na montanha existem regras de prioridade na passagem num trilho. Em primeiro lugar estão os animais, sejam cavalos, vacas, ou ovelhas, depois têm prioridade de passagem os caminhantes e finalmente as bicicletas.

 

    2)   Quando dois caminhantes se cruzam num trilho quem vai a subir tem prioridade sobre quem vai a descer. Isto por dois motivos: porque quem vai a subir vai a lutar contra a gravidade e em maior esforço e em segundo lugar porque quem vai a subir tem um ângulo de visão mais estreito.

 

     3)   Tal como na estrada, caminha-se pela direita e ultrapassa-se pela esquerda, fazendo-o de forma a fazer-se ouvir para não assustar o caminhante em frente.

 

    4)   Caminhantes com crianças devem sempre levar a criança na parte interior e mais protegida do trilho. Nunca do lado de maior perigo de queda. Em trilhos estreitos, como tantos aqui na Suíça, a criança nunca vai atrás, mas sim sempre no campo de visão e ao alcance de uma mão de um adulto.

Em trilhos em aresta ou em que há declives perigosos avaliar se é seguro levar a criança e, se apesar de tudo, a resposta for afirmativa, usar arnês com encordoamento entre a criança e o adulto.

 

     5)   Quando se levam animais para a montanha os mesmos devem estar com trela. Não só para não causarem danos aos animais selvagens, mas também para que não corram para cima de outros caminhantes, especialmente crianças, e provoquem risco de queda.

Não esquecer de limpar quaisquer dejetos dos mesmos tal qual como se fosse numa cidade.

 

     6)   Nunca deixar lixo nos trilhos. Eu sei que parece óbvio, mas já tive de chamar à atenção caminhantes que iam deixar para trás cascas e outros restos orgânicos. Tudo o que trazemos connosco é para levar de volta. Tudo, incluindo restos orgânicos é lixo. Os animais poderiam comer esses restos e adoecerem e as cascas de frutos secos por exemplo, demoram anos a decompor.

 

     7)   Nunca levem nada que encontrem convosco (com exceção do lixo, claro). As únicas recordações que devem trazer para casa são fotografias, as memórias de um dia bem passado e quem sabe, melhor forma física.

 

     8)   Caminhem em silêncio ou falem num tom de voz baixo. De preferência tirem o som ao telemóvel. Apreciem os sons da natureza e permitam aos outros fazer o mesmo.

  

     9)   Não saiam do trilho e não façam atalhos. A maior parte dos trilhos na Europa vai em zig zag ao longo da montanha. Cada vez que alguém decide começar a cortar caminho criando novos caminhos faz com que espaços que tinham pequenos insetos e plantas fiquem destruídos.

 

    10)              Deixem tudo como encontraram. A não ser, como já referido, que haja lixo e o recolham convosco. Nunca construir “mariolas” nos trilhos. As que existem foram colocadas em sítios estratégicos por rangers ou pastores e servem para facilitar encontrar o caminho e evitar desvios perigosos em dias de pouca visibilidade. Construir mariolas do nada só porque sim pode tornar-se um perigo para alguém perdido.

 

     11)              Se precisarem de ir à “casa de banho”, afastem-se 60 metros do trilho (é a única situação em que devem sair do trilho) e de quaisquer fontes de água. Qualquer papel que usem tem de ser levado convosco.

 

    12)              Sejam simpáticos e educados com os outros caminhantes com que se cruzam e cumprimentem sempre nem que seja com um simples aceno de cabeça. Aqui na Suíça alemã é considerado muito rude não cumprimentar com um “Grüetzi” ou um “Hallo”.


 

No fundo, poderia resumir-se a usufruir da montanha com bom senso e respeito pelos outros e pela vida selvagem. Caminhadas felizes 💗


Já nos seguem no Instagram Mundo Magno


Também podem gostar de ler: Como planear uma caminhada em montanha


Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.